Implante Coclear


A imagem ao lado explica de maneira bem simplificada onde fica localizado o implante coclear, o processador de som, os feixes de eletrodos que são introduzidos cirurgicamente na cóclea e que exige precisão do médico otorrinolaringologista para que se obtenha sucesso.


Mas o que poucas pessoas sabem é que essa tecnologia nem sempre é indicada para todo tipo de surdez e isso porque essa possibilidade somente é considerada pelo médico quando a resposta com os aparelhos auditivos já não são mais um opção.


Outro ponto é que se trata de um processo longo que não se limita a cirurgia. Quando se decide pelo implante é preciso estar ciente da nova realidade que será instalada e que é muito diferente da realidade com os aparelho auditivos.


Se por exemplo a pessoa ainda tiver algum resquício de audição por menor que seja, na cirurgia será totalmente extinto. O resíduo auditivo irá desaparecer por completo e sem o uso do implante a surdez é total. Ou seja a pessoa passa a depender totalmente dos implantes para poder ouvir e entender o sons, agora imagine se o processador da problema e precisa ir para o conserto? Imaginem a agonia que deve ser ficar sem.


É um trabalho em conjunto entre otorrinolaringologista, fonoaudiólogos e psicólogos. O primeiro realiza o procedimento cirúrgico, o segundo ajusta, mapeia os implantes e o terceiro contribui para que a pessoa não se cobre demais em ouvir ou mesmo fique atordoada porque ficará 30 dias após a cirurgia sem ouvir absolutamente nada e não crie expectativas demais quando a ativação ocorrer.


Não se trata de ir a uma clinica escolher como os aparelhos auditivos, pois, não é tão simples. Além disso é uma tecnologia cara que nem todos tem como arcar financeiramente. Os aparelhos auditivos já são considerados caros justamente porque não são nacionais e o implante coclear está na mesma faixa e por ser mais delicado em relação a sua construção tecnológica acaba sendo seu valor incompatível com o que a maioria pode pagar.


Diante disso temos o SUS - Sistema Único de Saúde que arca através do uso de dinheiro publico arrecadado dos impostos que pagamos diariamente todos os anos para cobrir o aparelho, a cirurgia, manutenção e acompanhamento fonoaudiólogo. Incrível não?


Graças ao SUS - Sistema Único de Saúde fundado em 1988 diante da maior crise de saúde publica do país, que hoje podemos disfrutar da possibilidade de obter os implantes cocleares e também os aparelhos auditivos. Importante lembrar que somos o único país do mundo que conta com um sistema público de saúde gratuito e sem custos a população. Em outros países tudo é custeado do seguro que a pessoa geralmente tem e do próprio bolso.


A demanda é grande no Brasil e tem muitas pessoas que estão aguardando a oportunidade de realizarem a cirurgia e isso requer paciência para saber esperar a hora em que será de fato chamado.


Abaixo deixo o arquivo de presente para baixar que contém todas as informações de indicação, contra indicação, etapas e todo o processo dentro do SUS.


diretrizes_gerais_atencao_especializada_pessoas_deficiencia_auditiva_SUS
.pdf
Download PDF • 787KB

Psicóloga Josiane

CRP - 06/161457-SP

Surda Oralizada

Usuária de Aparelhos Auditivos Bilaterais


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo